Franqueadora

Av. Manoel Ribas, 2.611, Mercês - Curitiba - PR               

[41] 3107 1530

Temos unidades franqueadas em todo o país.

September 2, 2019

Please reload

Posts Recentes

Processo de seleção eficiente | Últimas etapas

Continuando com nossas dicas acerca das etapas de um processo seletivo eficiente, abordaremos as últimas etapas de nosso processo de seleção.  
 

 

Nessa fase, pressupõe-se que os candidatos remanescentes são tecnicamente aptos a preencher a vaga e o foco é avaliar se o candidato adequá-se ao restante do time. 
 
Passo 1: DESCRIÇÃO DA VAGA 
 
Passo 2: CONTATO INICIAL 
 
Passo 3: PROVA DE CONHECIMENTOS 
 
Passo 4: ANÁLISE DE PERFIL COMPORTAMENTAL 

 
Existem diversos tipos de assessment a serem aplicados para a avaliação de perfil comportamental. 
 
O assessment por si só não é excludente de colaborador, dessa forma é preciso uma analise ampla dos resultados do laudo de avaliação comportamental. 
 
Há que se avaliar o perfil do candidato de forma completa, isso porque outros fatores como momento de vida pessoal ansiedade e momento de vida profissional podem interferir na forma de interpretação do laudo do assessment, por isso é recomendável a participação de um analista comportamental profissional. 
 


Passo 5:

ENTREVISTA COM O GESTOR 
 
Todos os passos acima foram excludentes de candidatos em algum nível menos apropriados para a vaga. 
 


Sendo certo que, a entrevista com o gestor é o último filtro para definição do candidato aprovado. 
 
Em tese, se o candidato passou por todas as fases anteriores, é porque é apto a atuar para a vaga em seleção, e nesse passo, normalmente o gestor escolhe entre dois ou três candidatos remanescentes aquele que melhor “lhe agrada”. 
 
O gestor, no mais das vezes, não possui formação para selecionar candidatos e acaba escolhendo aquele que melhor se apresenta e com quem mais simpatiza, e, nesse sentido, é possível excluir um candidato muito bom que esteja nervoso demais, por exemplo. 
 
E como conduzir a entrevista para que o candidato fique mais à vontade trazendo todos os elementos úteis a balizar a melhor escolha? 
 
Algumas dicas podem ser utilizadas para deixar o candidato mais confortável: 

  • Inicie a entrevista falando sobre a empresa e sobre a vaga, descreva de forma ampla como o trabalho se desenvolve e o que o colaborador pode esperar se selecionado para a oportunidade; 

  • Informe também o que se espera do colaborador que preencher a vaga; 

  • Se o colaborador vai ter acesso direto à você, diga sobre como seria desenvolvido o trabalho, o nível de autonomia e exigência e o que mais achar pertinente; 

  • Feito isso, se o candidato está ainda nervoso, faça uma pergunta bem objetiva sobre o nível de experiência dele; 

 
Nesse ponto, já é possível desenvolver uma conversação, trazendo à conversa informações relevantes sobre pretensões de carreira, cursos concluídos, em andamento e programados, áreas de interesse profissional e mesmo pessoais, a fim de completar o perfil da pessoa que está em sua frente. 


Lembre-se que o candidato está em um “concurso” e por isso o nervosismo é natural. Assim, tenha empatia pelo ser humano que está participando da seleção, isso auxiliará a trazer informações relevantes para a formação de seu convencimento. 
 
É importante também ser transparente com o candidato, lembre-se que o processo seletivo é só o primeiro passo daquela relação profissional e fazer promessas que não sabe se irá cumprir pode atrapalhar a relação de trabalho que se forma. Sendo assim, se a empresa não oferece plano de carreira por exemplo, não prometa. 
 
Ouça genuinamente o candidato. Não adianta perguntar se você não ouvir na essência a pessoa que está em sua frente e com base nessas respostas, formule as próximas questões. 
 
Mesmo com todas essas dicas, é bastante útil manter a mão um formulário ou uma lista sobre as principais questões que você precisa levantar. Isso porque no decorrer da entrevista, alguma informação importante pode ser esquecida. 
 
DICAS ÚTEIS DE OBSERVAÇÃO 
 
Pensando na observação do entrevistado pelo entrevistador, é possível passar alguns conceitos de Programação Neurolinguística que podem auxiliar em uma entrevista. 
 
É possível sugerir uma forma de interação entre as pessoas na sala, entrevistado e entrevistador chamada espelhamento. 
 
Essa técnica é uma forma de interagir com a outra pessoa para atrair o foco para o momento presente e a conversação, eliminando dessa forma, pontos de tensão ou nervosismo. 

O espelhamento consiste em modelar fisicamente os comportamentos da outra pessoa, de forma sutil, até que ela, sem perceber, comece a fazer o mesmo com os seus gestos. Isso é muito útil para trazer a atenção focada do outro. 
 
Outra forma interessante de observação diz respeito ao conceito dos movimentos prováveis dos olhos, pelo qual é possível avaliar a forma como uma pessoa está construindo o seu pensamento. 
 
Obviamente esse conceito geral é mais assertivo após avaliar a forma representacional com que a pessoa compreende o mundo, mas, num primeiro momento, essa dica é bastante útil. 
 
Pela lógica do movimento provável dos olhos temos que uma pessoa que ao falar desvia o olhar para a esquerda, de forma geral busca lembranças, experiências e sons do passado, enquanto que, com o olhar desviado para o lado direito refere-se à construção de imagens, sensações, direcionando-se para uma visão de futuro. Já os olhos direcionados ao centro, remetem ao presente. 
 
Pensando nisso, você pode avaliar como o candidato está construindo as informações que está narrando e usar essa informação para trabalhar seu diagnóstico. 
 
Se você perdeu algum dos passos anteriores de avaliação, busque em nosso blog porque está tudo lá! 
 


Siga-me.

 

Linkedin: www.linkedin.com/in/danielle-alves-gestãoadvogados   
Instagran: daniellealvesradar 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

Procurar por tags