As novas tecnologias e os advogados

São muitas as novas tecnologias que surgem diariamente para auxiliar os advogados e que tomam conta do mundo jurídico.

Para se falar em Gestão Jurídica, estratégias para condução de processos, e até mesmo para o protocolo digital não há maneira de se dissociar da tecnologia.

Mas neste artigo, abordaremos especificamente o tema da inteligência artificial, robôs de automação e se esses “novos personagens” substituirão as pessoas.

Inteligência artificial é um ramo de pesquisa da Ciência da Computação que se ocupa em desenvolver mecanismos e dispositivos tecnológicos que possam simular o raciocínio humano, em outras palavras, fazer com que o computador possa “pensar”.

Há tempos o tema é abordado em filmes onde as máquinas tomam conta do planeta e até exterminam a população mundial: O Exterminador do Futuro, Matrix, Gerra dos Mundos, entre outros; mas a verdade é que embora seja possível comemorar significativos avanços no campo da inteligência artificial, o narrado nestes filmes está muito longe de acontecer.

E essa tecnologia na verdade pode auxiliar muito os advogados. Atualmente com a quantidade crescente de processos e a grande concorrência, um dos maiores desafios para os advogados é aumentar a produtividade e aliar estratégias na condução dos processos para dar aos seus clientes um atrativo diferencial.

E para aumentar a produtividade sistemas de inteligência artificial fazem pesquisas de jurisprudência em segundos, montam peças e contratos, analisam estatisticamente a tendência de cada tribunal.

E isso não significa que serão substituídas as pessoas pela inteligência artificial. Esses dados precisam ser avaliados e utilizados no caso concreto, de forma que os advogados deixarão de dedicar-se ao trabalho mecânico e repetitivo e passarão a trabalhar os dados para o melhor direcionamento das demandas.

Ainda será possível trabalhar estrategicamente os processos levando o melhor resultado ao cliente individual, ou mesmo carteiras inteiras de processos, maximizando os resultados para os clientes empresariais.

Para isso, os advogados e escritórios precisam mudar de pensamento. Ao invés de desconfiar das novas tecnologias e temer serem ultrapassados por elas, precisão especializar-se.

Atulamente, o que mais se vê são tecnologias adquiridas pelos escritórios subutilizadas, porque seus usuários não conhecem seu potencial de uso e sequer entendem quais informações estão disponíveis e como podem utilizá-las.

Informação é poder!

Assim, as pessoas ainda são e serão os motores dos escritórios: “100% dos clientes são pessoas, 100% dos empregados são pessoas. Se você não entende de pessoas, não entende de negócios” Simon Sinek. Essa frase é muito verdadeira, pessoas gostam de pessoas e a inteligência artificial auxiliará as pessoas a potencializar seus resultados.

Os advogados que não entenderem essa tendência serão atropelados pela inovação.

#Tecnologia

Posts Recentes
Procurar por tags

Rua Visconde do Rio Branco, 1358 - 18º andar

(41) 3408-5697